21 2532-3413

Blog / Notícias

SinMed/RJ na luta

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=826978574149955&id=366996086814875

SinMed/RJ completa 90 anos. Iniciando o ano comemorativo.

SinMed/RJ completa 90 anos. Iniciando o ano comemorativo.

Resumo da Assembleia dos Médicos- 23/11/2017

Resumo da Assembleia dos Médicos- 23/11/2017

Ata – Audiência com Prefeito

Ata – Audiência com Prefeito

Moacir Scliar faria 90 anos em 2017 também

Moacir Scliar faria 90 anos em 2017 também

Importante debate. Participe. Divulgue.

Importante debate. Participe. Divulgue.

Na próxima quinta-feira (23), trataremos a questão da Crise dos Hospitais Federais e do Estado do RJ no Auditório do SINAERJ. Os Hospitais Federais vêm sofrendo uma violenta ofensiva por parte do governo federal ilegítimo, representado pelo desqualificado Ministro da Saúde que não dá a mínima importância para a questão e está matando os nossos hospitais de inanição. Chamem os amigos e venham colaborar nesse importante debate!

Campanha de doação para o fundo de greve do nenhum serviço de saúde a menos! Ajude os trabalhadores do SUS a se manterem na luta em defesa da saúde pública

Campanha de doação para o fundo de greve do nenhum serviço de saúde a menos!
Ajude os trabalhadores do SUS a se manterem na luta em defesa da saúde pública!
O valor mínimo aceito pelo site Vakinha é 20,00 reais. Então, como a maré não tá pra peixe, doem coletivamente!

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/nenhumservicodesaudeamenos?utm_campaign=facebook&utm_content=236671&utm_medium=website&utm_source=social-shares
Doem e divulguem por favor

EDITAL DE CONVOCAÇÃO – 23/11/2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO – 23/11/2017

MÉDICOS DA ATENÇÃO BÁSICA DO RIO PERMANECEM EM GREVE

MÉDICOS DA ATENÇÃO BÁSICA DO RIO PERMANECEM EM GREVE

CARTA MANIFESTO DMIFC / UERJ

CARTA MANIFESTO DMIFC / UERJ

CARTA MANIFESTO (solicitamos que leia e ajude a divulgar)
O Departamento de Medicina Integral Familiar e Comunitária (DMIFC) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) trabalha há 41 anos para a formação de profissionais de saúde, qualificados e críticos, que possam atuar como verdadeiros agentes de mudança visando que a saúde e a educação possam, de fato, ser centradas nas necessidades das pessoas, especialmente no contexto da Atenção Primária e da Medicina de Família e Comunidade.
A gravidade do momento político que vivenciamos no país, e também no estado e município do Rio de Janeiro, com cortes e limitações orçamentárias nos campos da saúde, da educação, da pesquisa e dos investimentos sociais, nos leva a manifestar publicamente este posicionamento.
Manifestamos nossa posição a favor da ética e da equidade, a favor da Saúde e da Educação para todos e para todas, sem distinção de cor, sexo, idade, ou situação socioeconômica. Sabemos que isso só é possível através de um Sistema de Saúde e de Educação público, gerido pelo interesse público e para a população brasileira.
Somos contra um sistema de saúde e de educação gerido pelos interesses de mercado, porque o mercado não é gerido pelas necessidades de saúde e educação das pessoas, e sim por interesses econômicos e financeiros.
Nos últimos 2 anos, temos tido que vivenciar e suportar como cidadãos e cidadãs brasileiras uma série de medidas desastrosas, um verdadeiro desmonte, uma dilapidação de bens sociais e riquezas que construímos e mantivemos, com muito esforço, como nação. Mesmo que, ainda longe de poder falar em equidade no Brasil, estávamos em um caminho mais promissor em matéria de acesso aos serviços de saúde e de educação.
Sem dó nem piedade, estamos assistindo, incrédulos, a politicas sectárias que visam o retorno a uma situação de desigualdade social vergonhosa em nosso país: congelamento de investimentos e cortes de verbas das três esferas de poder em programas sociais, de saúde, educação, pesquisa (MEC, CNPq, FAPERJ), redução de investimento em infraestrutura, inviabilização de universidades. Fazemos parte da UERJ uma das maiores universidades do Brasil, que se encontra entre as 500 maiores do mundo, e que, há 2 anos vem sofrendo uma ação de desmonte e sufocamento. Vivenciamos a redução de profissionais das Clínicas de Família e fechamento de hospitais públicos.
Sob o manto da desfaçatez, é bradado que estamos em uma situação de crise financeira, que, justificaria a necessidade deste tipo seletivo de austeridade econômica. Mentira. Somente no último leilão do petróleo, este governo abriu mão de um trilhão de reais de receitas. Antes, já havia entregue de bandeja o “ouro “do século XXI e do qual nosso país é rico: o pré-sal. Agora, no dia 1 de novembro, véspera de feriado, este governo de Michel Temer informa que vai privatizar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, a Eletrobrás, a Petrobrás e todas as empresas públicas, ou seja, o patrimônio do povo brasileiro. A última facada é a nova legislação trabalhista que suprime direitos arduamente conquistados e que permitiam um pouco mais de equidade na relação empregador-empregado neste país desigual.
No Rio de Janeiro, o prefeito Crivella, num somatório de incompetência e incoerência, ameaça uma das mais exitosas iniciativas na área da saúde no Brasil - e que tem tido impactos altamente positivos para a população e indicadores de saúde, com resultados reconhecidos nacional e internacionalmente - que foi a expansão e a qualificação da Estratégia Saúde da Família, através das Clinicas da Família.
Temos convicção que o Brasil tem um grande futuro pela frente e que a população brasileira merece um destino de paz e equidade. De nossa parte, manteremos o trabalho cotidiano, comprometidos com o fortalecimento do SUS e em busca de uma política de saúde e educação que respeite a diversidade e valorize as pessoas para que possamos oferecer um cuidado em saúde adequado e centrado nas necessidades na população brasileira.

Créditos: https://www.facebook.com/dmifcuerj/

Mídias

Mídias Mídias

Contato

Avenida Churchill, 97
8º ao 12º andar  – Castelo – RJ

Tels: 21 2532-3413

comunicacao@sinmedrj.org.br